A luz divina e sobrenatural – parte 1

E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Mt 16:17

Doutrina: Que há tal coisa como uma luz espiritual e divina, imediatamente comunicada à alma por Deus, de uma natureza diferente de qualquer outra que seja obtida por meios naturais.

Eu vou mostrar o que essa espiritual e divina luz é. E pra isso mostrarei, primeiro, em poucas coisas, o que ela não é:

1. Essas convicções que homens naturais podem ter de seus pecados e miséria não é essa luz espiritual e divina. Homens numa condição natural podem ter convicções de culpa que repousa sobre eles, da ira de Deus e do perigo quanto à vingança divina. Tais convicções são da luz da verdade. Que alguns pecadores tenham uma maior convicção da culpa e miséria deles do que outros é por que alguns tem mais luz ou mais apreensão da verdade que outros. E essa luz e convicção talvez sejam do Espírito de Deus. O Espírito convence o homem do pecado, mas ainda assim a natureza está muito mais preocupada nisso do que na comunicação dessa luz espiritual e divina que é dita na doutrina. Trata-se do Espírito de Deus apenas como auxiliando princípios naturais, e não como infundindo novos princípios. A graça comum difere da especial, na medida em que influencia apenas auxiliando a natureza, e não por transmitir a graça, ou concedendo qualquer coisa acima da natureza. A luz que é obtida é totalmente natural, ou de tipo não superior ao que alcança a mera natureza, embora mais desse tipo fosse obtida do que se os homens fossem deixados inteiramente por si. Ou, em outras palavras, a graça comum só ajuda as faculdades da alma para fazer mais plenamente o que é feito por natureza, como a consciência natural ou razão vai, por mera natureza, fazer um homem sensível a culpa, e vai acusá-lo e condená-lo quando ele fizer algo errado.  A consciência é um princípio natural para os homens, e o trabalho que ela faz, naturalmente, ou de si mesma, é dar uma apreensão do certo e errado, e sugerir à mente a relação que existe entre o certo e o errado, e uma retribuição. O Espírito de Deus, nessas convicções que os homens não regenerados às vezes tem, assiste a consciência para fazer este trabalho num grau maior do que faria se eles fossem deixados por si mesmos. Ele a ajuda contra essas coisas que tendem a entorpecer-la e impedir o seu exercício. Mas, na renovação e santificação do trabalho do Espírito Santo, essas coisas são feitas na alma, que estão acima da natureza, e de que não há nada do tipo por natureza. Eles são causados ​​a existir na alma habitualmente, e de acordo com a constituição ou lei, tal fundamento como base para exercícios em um curso continuado é chamado um princípio da natureza.

2. Esta luz espiritual e divina não consiste em qualquer impressão feita mediante a imaginação. Não é impressão sobre a mente, como se alguém visse algo com os olhos físicos. Não é imaginação ou idéia de uma luz externa ou  glória, ou qualquer beleza de forma ou aparência, nem um brilho visível ou o brilho de qualquer objeto. A imaginação pode ser fortemente impressionada com essas coisas, mas isso não é a luz espiritual. De fato, quando a mente tem uma descoberta viva das coisas espirituais e é grandemente afetada pelo poder da luz divina, pode, como provavelmente e muito comumente faz, afetar muito a imaginação, de modo que as impressões de uma beleza exterior ou o brilho pode acompanhar aquela descoberta espiritual. Mas a luz espiritual não é essa impressão sobre a imaginação, mas uma coisa superior. Homens naturais podem ter impressões vivas em suas imaginações; e não podemos definir, porque o diabo, que se transforma em anjo de luz, pode causar imaginação de uma beleza exterior, ou a glória visível, e de sons e discursos, e outras coisas mais, porém estas são coisas de natureza muito inferior à luz espiritual.

3. Esta luz espiritual não é a sugestão de novas verdades ou proposições não contidas na Palavra de Deus. Essa sugestão de novas verdades ou doutrinas para a mente, independente de qualquer revelação antecedente dessas proposições, seja por palavras ou por escrito, é inspiração, como os profetas e apóstolos tinham, e como alguns entusiastas fingem ter. Mas esta luz espiritual que eu estou falando, é uma coisa muito diferente de inspiração. Ela não revela nenhuma nova doutrina, não sugere nenhuma nova proposição para a mente, ela não ensina coisa nova de Deus, ou Cristo, ou de um mundo que não é ensinado na Bíblia, mas só dá a devida apreensão daquelas coisas que são ensinadas na palavra de Deus.

4. Não é toda visão comovente que os homens têm das coisas religiosas que é esta luz espiritual e divina. Homens por meros princípios da natureza são capazes de serem afetados com as coisas que têm uma relação especial com a religião, bem como outras coisas. Uma pessoa por mera natureza, por exemplo, pode ser susceptível de ser afetado com a história de Jesus Cristo e do sofrimento que ele foi submetido, bem como por qualquer outra história trágica. Ele pode ser o mais afetado com isso a partir do interesse que ele entende que a humanidade tem por isso. Sim, ele pode ser afetado por isso sem acreditar nisso, assim como um homem pode ser afetado com o que ele lê num romance, ou vê em uma peça de teatro. Ele pode ser afetado com uma descrição viva e eloquente de muitas coisas agradáveis ​​que atendem o estado de bem-aventurados no céu, bem como a sua imaginação ser entretida com uma descrição romântica da agradabilidade da terra de fadas, ou algo semelhante. E uma crença comum da verdade de tais coisas, de educação ou de outra forma, pode ajudar a avançar o seu afeto. Nós lemos na Bíblia de muitos que foram muito afetados com as coisas de natureza religiosa, que ainda estão lá representados como totalmente sem graça, e muitos deles muito doentes. A pessoa, portanto, pode ter uma visão comovente das coisas religiosas, e ainda assim ser muito desprovido de luz espiritual. Carne e sangue pode ser o autor disso: um homem pode dar a outro uma visão impactante das coisas divinas com assistência comum, mas só Deus pode dar uma descoberta espiritual delas.

Veja também: A luz divina e sobrenatural – parte 2

By Jonathan Edwards. A Divine and Supernatural Light imparted to the Soul by the Spirit of God. Sermão em Mateus 16:17.

Tradução Diego de Andrade. afeicoesdoevangelho.wordpress.com.

Advertisements

About afeicoesdoevangelho

O afeições do evangelho foi criado com o propósito de incentivar as pessoas a buscarem conhecer e viver o Evangelho Cristocêntrico, como fizeram uma grande nuvem de testemunhas (Hebreus 12.1) em outras gerações. Solus Christus!
This entry was posted in Século XVIII and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s