Vai Tudo Bem – A História por Trás da Música

Por Marshall Segal.

fa“De fato, continuarei a alegrar-me, pois sei que o que me aconteceu resultará em minha libertação, graças às orações de vocês e ao auxílio do Espírito de Jesus Cristo. Aguardo ansiosamente e espero que em nada serei envergonhado. Pelo contrário, com toda a determinação de sempre, também agora Cristo será engrandecido em meu corpo, quer pela vida quer pela morte; porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro.”
Filipenses 1:18-21

Em 1873, um homem recebeu uma mensagem de sua esposa, que tinha navegado para a Europa com suas quatro filhas, onde ele planejava encontrá-las em breve. O bilhete dizia: “Salva sozinha…” Ela e as meninas presenciaram uma terrível colisão no mar e seu navio afundara. Todas as quatro filhas morreram. Aquela foi, nada mais, que a mais recente e grave notícia em três anos pavorosos para a família. Eles tinham perdido seu filho em 1870, depois um grande incêndio os arruinou financeiramente no ano posterior, tudo antes dos horrores do acidente no mar.

O homem era Horatio Spafford, e enquanto cruzava o mar para encontrar sua enlutada esposa, ele escreveu as seguintes palavras:

Quando a paz, como um rio, assiste o meu caminho
Quando tristezas como as ondas do mar se revolvem
Seja qual for a minha sorte, Tu me ensinaste a dizer
Vai tudo bem, vai tudo bem com a minha alma*.

Vai tudo bem? O que poderia ancorar a mente e o coração de um homem em tragédias como essas e libertá-lo para cantar “Bem”, quando tudo o que ele tinha havia se perdido?

A Esperança no Hino de Spafford

A chave para se estar bem no sofrimento, pelo menos para Horacio Spafford, é Cristo. Esse pai tinha encontrado, amado, desfrutado e adorado o Homem, seu Salvador, Jesus Cristo. E esse amor foi capaz de carregá-lo através das mais violentas ondas da vida. Ele conhecia o âmago de Filipenses 1.21, onde Paulo, um homem que sofreu mais que a maioria, escreveu: “Para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro”.

Esse Cristo, Filho de Deus, humilhou-se para se tornar um homem de carne e osso, como eu e você (Filipenses 2.7). E sendo homem, inocente e sem pecado, ele se humilhou ao ponto de morrer a morte dos pecadores em nosso lugar na cruz (Filipenses 2.8). Ele verteu seu próprio sangue por minha alma. Seu corpo partido e seu sangue derramado pagaram a dívida dos meus delitos. No sacrifício de Jesus, meu pecado, não em parte, mas por inteiro, foi cravado na cruz, e eu não mais o carrego.

Ora, a última nota em cada perda é alegria, pois nada, nem notícias, nem pessoas, nem acontecimentos, nem danos, podem retirar Cristo e seu amor de mim. Nem mesmo a morte. Quando eu fechar estes olhos pela última vez, este momento de maior e mais profunda perda será “lucro”. E Senhor apresse o dia no qual minha fé será contemplada. Podemos ter paz, fé e até mesmo alegria quando perdemos tudo, porque nós nunca perdemos tudo. Independentemente do que acontecer aqui nesta terra, iremos passar a eternidade apreciando o Deus que se tornou como nós, deu sua vida por nós, resgatou-nos do nosso pecado, e nos liberta para uma vida plena e perene.

Está tudo bem?

Deus nos deu um presente misericordioso na música escrita no seio de uma grande tragédia. Uma canção muitas vezes tem o poder de expressar a dor e de confortá-la quando as palavras por si só são vazias. Cada vez mais, “It Is Well” tem alcançado e carregado santos através dos piores tipos de sofrimento, relembrando-os do profundo, permanente e soberano “Bem” na base da nossa alegria e vida.

Você tem conhecido essa paz em meio ao caos em sua vida? Você tem sentido o amor de Deus quando você caminha por uma tragédia? Existe algo tremendo, forte e reconfortante na base de suas respostas ao desânimo, à decepção e à perda?
Em Cristo, tudo pode estar bem para você seja qual for a circunstância. Ele morreu por você. Ele se compadece de sua dor. Ele permanece com você. E promete libertar você para ele mesmo, onde ele sempre te protegerá perfeitamente contra o pecado, a morte, o sofrimento e a dor.

*NT: As partes do texto em itálico são a tradução dos trechos originais do hino de Spafford, “It is Well”. A versão em português mais conhecida do hino é “Sou Feliz” (Sou feliz com Jesus meu Senhor…).

Texto original: http://www.desiringgod.org/articles/it-is-well
Tradução: Edmilton Filho

Advertisements

About afeicoesdoevangelho

O afeições do evangelho foi criado com o propósito de incentivar as pessoas a buscarem conhecer e viver o Evangelho Cristocêntrico, como fizeram uma grande nuvem de testemunhas (Hebreus 12.1) em outras gerações. Solus Christus!
This entry was posted in Século XIX and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s